quinta-feira, 30 de abril de 2009

Trabalho para que te quero


Acabei de atender um jovem que vinha á procura de trabalho. A empresa onde estava a laborar fechou. Entreguei-lhe uma ficha de inscrição e informei-o que quando surgisse alguma vaga seria contactado. Disse-me que precisava mesmo de trabalho pois tinha família, filhos. Enquanto preenchia a ficha foi contando que já tinha ido ao centro de emprego fazer a inscrição e pedir o subsídio. No entanto vinha muito desiludido pois foi informado que teria que fazer trabalho comunitário. Que aquilo era um absurdo pois além de tudo não iria receber nada além do subsídio pelo trabalho que efectuasse.

Não conheço as regras do centro de emprego. Não sei que tipo de trabalho comunitário eles fazem, mas parece-me adequado arranjar alguma ocupação para as pessoas enquanto não encontram trabalho. A procura de um emprego pode ser um trabalho a tempo inteiro, é por certo uma tarefa desgastante, mas também sabemos que muitas pessoas habituadas a receber subsídios nada fazem no sentido de encontrar um trabalho. Há cerca de 6 meses tivemos uma vaga na fábrica. Pedimos ao centro de emprego, mas não surgiu ninguém. Acabámos por colocar um cartaz “admite-se pessoal” na janela. Passados uns dias aparece um senhor de meia-idade, retira uma folha do bolso, desdobra-a e diz: - Gostava de saber se me podiam por o carimbo para o centro de emprego? É que eles agora dizem que é obrigatório… – Apesar da placa ele não perguntou que tipo de pessoa precisávamos, que tipo de tarefa teria que realizar, porque simplesmente ele não queria trabalho. Queria apenas o carimbo e o consequente subsidio.
Enquanto existir este tipo de pessoas subsidio dependentes, a quem o valor pago pelas instituições publicas basta, que não valorizam o trabalho, que apenas pensam na melhor forma de contornar as regras, o país nunca avançará. E este não é um país que me orgulhe!

5 comentários:

MyStar's disse...

È horrivel, mas infelizmente o nosso País tá cheio de gente assim e quem precisa às vezes não consegue esse bem dito subsidio...
È uma tristeza
Tens um miminho no meu blog
Bjinhos

maria qualquer coisa disse...

è assim... por aqui tb pedimos serralheiros ao centro de emprego...e... ao 1º ninguem apareceu... dps insistimos e vieram uns que para nada serviam...

Dps de facto eles preferem estar em casa a receber o subs, nem que seja menos uns 50 ou 100 euros... enfim...

Mas olha... existem cursos do Novas Oportunidades remunerados muito bons. 1º ele está ocupado e a aumentar os conhecimentos... e em 2º.. quem tem filhos nas escolas, uma das regalias destes cursos é que pagam as escolas deles, sabias?

é mesmo uma questão de ele se informar... e de querer de facto claro!

beijinhos

JS disse...

Esta semana uma professora recusou um horario de 16 horas porque havia um dia que tinha pouco tempo para almoçar...

Há de tudo, infelizmente!

Carla Isabel disse...

pois...sei de alguns casos assim...nao querem trabalhar, infelizmnte.

Bjs

MARIINHA disse...

Peço-te que passes pela Mansarda tens lá uma coisa para ti, espero que gostes. Beijokas