quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Ser mãe


é muito mais que ter um filho. É ter as nossas dores e as dores deles. É ter as nossas angustias e medos e viver também as deles. E sabermos que eles têm que as vivenciar porque é também isso que os ajuda a crescer.

No ano passado a professora da Bia convidou os alunos a fantasiarem-se no último dia de aulas, antes do Carnaval. A Bia levou um lindo vestido de princesa cor-de-rosa que já tinha do ano anterior. Estava linda! Contudo admito que havia outros fatos mais elaborados e originais. Não sei se é habitual mas resolveram fazer um concurso. E ela não ganhou. Vinha triste nesse dia. E decidiu que no próximo ano não iria fantasiada, pois assim poderia fazer parte do jurí e não teria que participar do desfile. Conversámos com ela e tentamos que ela entendesse que não podemos ganhar sempre e que isso nem é o mais importante.

Este ano comprámos um vestido novo. Azul, mas novamente de princesa (a realeza está-lhe no sangue). E ela pensou melhor e optou por ir fantasiada. Mas agora tenho o coração apertadinho. Tenho medo da desilusão que ela pode sentir se não ganhar... Melhor era que não houvesse concurso. Ou isso é uma forma de os preparar para as desilusões da vida? E será que deveriam começar tão pequenos a lidar com a competitividade?

Eu por mim vou dizer-lhe mil vezes que para nós é a menina mais linda do mundo. E vou enchê-la de beijos. E com isto espero que vá preparada para enfrentar adversidades e alegrias com a certeza que é muito amada!

4 comentários:

Cláudia disse...

Pois essa parte é sempre complicada, porque todos eles se sentem tristes se não ganharem, afinal eles escolhem a fantasia que consideram mais bonita...
São tão pequeninos, que concordo contigo...Não deveria haver concurso...
E ela deve estar linda de princesa!!!

beijinhos

Mamã da Rafa disse...

Oh concordo contigo, não devia de haver concursos, são todos lindos!

Ps. envie-te convite

Beijinhos com carinho

Pietra disse...

Também acho que não devia haver concurso.
Quando comecei a dar aulas, fazia concursos para tudo e mais alguma coisa (para as melhores canções, melhores vozes), pensando que isso os motivava e tentariam ser os melhores e daí esforçarem-se para fazer bem. Até que, com a experiência comecei a compreender, que o resultado era contrário à minha pretensão, ficavam tristes por não ganharem e até me chegaram a dizer que não queriam fazer concusos. Pois se pensarmos bem, só um ganha e são muitos os que perdem e ficam tristes.
E os que não têm possibilidades económicas para comprarem um lindo/ moderno disfarce?!

Mamã da Rafa disse...

Bom Carnaval e fds!

Jinhos carinhosos

Ps. vai espreitar lá;)