terça-feira, 17 de abril de 2012

Ainda a propósito da amamentação,

e porque a minha posição é muito clara, volto ao assunto.
O aleitamento materno é algo muito natural. A sua prevalência foi variando ao longo dos tempos e à medida que a sociedade se desenvolvia a amamentação foi diminuindo. Foram vários os factores que contribuíram para isso, chegando a ser considerado mais "normal", prático, oferecer o biberon do que amamentar. Nas últimas décadas, contudo, começou a dar-se o movimento contrário. Algumas entidades começaram a tentar entender a razão disto acontecer e colocaram em prática medidas de incentivo ao aleitamento materno.
O prospecto que está no post anterior é visto desta forma. Como forma de convencer as pessoas, principalmente as mães, de que nada é melhor para os seus bebés que o leite materno.
Mas isto não deveria ser necessário. Todos deveriam conseguir ver essas vantagens.
Contudo não sou fundamentalista. Entendo que há casos que não correm bem e podem ser diferentes. Em que a solução pode passar pelo leite artificial. Mas também sei que se mais ajuda houver (principalmente dos profissionais de saúde) mais fácil será ter sucesso com a amamentação. 
Amamentar não é só alimentar. Amamentar é, para mim, um acto de amor.

4 comentários:

Nany disse...

Eu sou um dos casos que correram mal, com imensa pena minha.
Sou daquelas que agradece o facto de o LA ter sido desenvolvido e estar onde está hoje. Sempre dei e dou de comer aos meus filhos com amor, mas gostaria muito de os ter amamentado.
Para mim, cada mãe tem o direito à escolha tendo em vista o melhor para o seu bebé. De todas as razões a favor e contra a amamentação as únicas que me fazem espécie é o facto de se amamentar uma criança de 4 anos que não necessita, mais porque a mãe não quer perder esse vínculo; e a razão contrárias, de não se amamentar porque se ficam com as mamas descaídas.
Bjs

Mamã Petra disse...

Nos 2 primeiros filhos a amamnetação não excedeu o 1º mês, não sei se devido ao stress, aos nervos ou o que seja secou naturalmente de um dia para o outro com o mais novo amamentei até ao 1º ano foi maravilhoso, para os 2 e até os mais velhos adoravam vê-lo mamar, para o próximo vou querer manter o mesmo.

Beijinhos

akombi disse...

tal e qual concordo em todas as palavras, cada mulher deve de saber o que é melhor para si e para o filho, nnca planei simplesmente o amamentar foi algo natural tanto para elas como para mim.

penso que tb tem mto a ver com quem cruzamos, na 1ª ela não pegava bem no peito por nao fazer "bico", tive no hospial uma enfermeira mto profissional que além dos truques, insistia e preocupava nesse momento....já a
2ª pegou á 1ª e não houve problemas....bom tirando 2 mastites, uma delas tive que recorrer ás urgências e ouvi do médico pq ela já tinha 2 anos como é que eu continuava a amamanta-la?.....nada que me tenha demovido, nem a ela (¨,)

não me arrependo de nada pode ser cansativo, pois acordam mais á noite que um bebé alimentado a biberon, ainda pra mais qd fazem d chucha a mama, como foi a minha inesperiencia com a 1ª, mas é tão gratificante.....voltava a fazer tudo outra vez.

Cris ♥ disse...

Infelizmente só dei de mamar até aos 4 meses. E detesto que me perguntem se ainda dou de mamar... fazem-me lembrar que já não acontece.
Mas é óbvio que cada mãe deve ser capaz de escolher o que é melhor para si e para o seu bebé.